Generosidade

A luz gravita sobre o copado do bosque escapando apenas uma pequena porção, na fronteira do Horizonte de eventos. Grande parte da luz é absorvida, difundindo-se então no seu interior por diferentes níveis e estratos, fundamental para diversos processos de transformação de energia e matéria.

Nos começos da estação que se avizinha, há um fenómeno que pode ser apreciado. Depois de um prolongado período de hibernação, o carvalho-negral é um dos últimos a despertar e a principiar a foliação – processo de emergência e desenvolvimento das folhas – cedendo, por generosidade, luz a outras plantas que dela necessitam, e que de outro modo se veriam privadas ou dificultadas (e.g., Primula, Narcissus, Bellis, …).

O carvalho-negral é também generoso com inúmeras formas de vida, visíveis e invisíveis, em plena estação que se segue, fornecendo espaço vital, alimento e abrigo, sustentando um vasto e complexo sistema ecológico, fundamental para o seu funcionamento.

No Outono, mostra de novo a sua faustosa generosidade, pelo fruto, de forma abundante e desmedida, mais do que a síndrome de dispersão ditaria, possibilitando a muitos prepararem-se para um novo período de hibernação, e no qual a luz escapará de novo para lá do copado, num ciclo eterno.

Nenhuma árvore dá tanto – e o ser humano lhe dá tão pouco. O bem comum, o bem das comunidades, é também o seu.

João Paulo Fidalgo Carvalho, 21-Março-2020.

fb-share-icon
  1. Há quem acredite que a generosidade venha sempre dos céus (porquê?) e que estamos cá em baixo para apanhar os restos…
    O carvalho-negral é generoso. Nas suas florestas onde se projectam milhares(milhões? biliões? é possível contar?) de árvores tudo acontece sem esforço – parece-nos.
    Talvez o segredo deste movimento generoso seja subterrâneo. E por isso passa tão facilmente ao lado (por baixo) das sociedades.
    Imagine-se que as suas raízes terão passado milhares de anos a falar umas com as outras. grandes conversas!
    Falaram e combinaram as suas acções anuais: qual sobrevivência? plena generosidade! Colocaram-se à vez perante o sol. Qual sacrifício? Generosas a dar tempo umas às outras! Generosas a trocarem os tempos entre elas! Que importa um mês ou dois em séculos e séculos de anos solares de vida!
    Abraço
    pedro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.